18 Fev 2018
Fevereiro 18, 2018

Exige-se formação!

0 Comment

“Os recursos humanos são o ativo mais precioso de qualquer organização e a sua qualidade é determinante para o sucesso das políticas públicas”. É assim o preâmbulo do diploma que define o regime da formação profissional na Administração Pública. A formação profissional é, pois, determinante para a qualidade dos recursos humanos.
No ano de 2017, a ASAE não teve um Plano de Formação Profissional aprovado. Já no ano de 2016, o mesmo apenas surgiu no segundo semestre, de forma tímida e envergonhada, tentando passar despercebido, sem ir à discussão prévia com os sindicatos.
Em qualquer instituição, a formação profissional e a capacitação dos seus recursos humanos são encaradas de forma séria e primordial. Mas na ASAE, onde são centenas os diplomas com que os inspetores trabalham diariamente, de elevada complexidade técnica e em constante mutação, o mesmo não sucede.
Sonegar o direito à formação, configura um atentado à dignidade profissional do trabalhador. Não saber, ou não saber fazer, é claramente desmotivante e pouco dignificante! Mas pior do que isso são as consequências para terceiros, seja por ação, seja por omissão, que a falta desse “saber” pode acarretar.

 

A opinião do Presidente da Direção Nacional da ASF-ASAE.

http://www.cmjornal.pt/opiniao/colunistas/bruno-figueiredo/detalhe/exige-se-formacao?utm_medium=Social