01 Jun 2018
Junho 1, 2018

Nós por cá…

0 Comment

No Verão passado, face ao aumento exponencial de alojamentos ilegais, o Município de Barcelona subiu para 40 o número de inspetores cuja função é exclusivamente inspecionar o alojamento turístico. Simultaneamente, adquiriram ferramentas informáticas que permitem o cruzamento de dados entre as plataformas online de promoção dos alojamentos e os registos de licenciamento do Município. Para além disso, para 2018 já anunciaram um reforço de mais 60 inspetores para trabalhar exclusivamente nessa área. É dessa forma que protegem o seu ativo mais importante: o setor turístico.

Por cá, não temos, nem pretendemos ter, mais de 8 inspetores, a nível nacional, afetos à fiscalização desse setor. Ainda recentemente, no Algarve, o Sr. Inspetor-Geral da ASAE extinguiu uma das duas únicas brigadas daquela região especializadas em empreendimentos turísticos.

Com o aproximar de mais uma época alta, e sem reforço do quadro de pessoal da ASAE, verificamos que a estratégia da “avestruz” é para manter. Sem inspeção não há infrações, não há consumidores lesados, não há burlas, não há evasão fiscal, não há concorrência desleal… Tudo vai bem, desde que a cabeça continue enfiada na areia.

A Opinião do Presidente da Direção Nacional da ASF-ASAE, publicada no Correio da Manhã.

https://www.cmjornal.pt/opiniao/colunistas/bruno-figueiredo/detalhe/nos-por-ca