25 Abr 2019
Abril 25, 2019

Relação inversa

0 Comment

No Dia Mundial dos Direitos do Consumidor, foram divulgados os dados oficiais referentes ao livro de reclamações: sabe-se que o consumidor tem reclamado mais e que a ASAE se mantém como a entidade de controlo de mercado que mais reclamações recebe. Em 2018 foram 173.489 reclamações, mais 15 mil do que em 2016.
Por si só, este indicador justificaria um maior investimento na “polícia do consumidor”, mas ainda lhe podemos somar o crescimento exponencial do sector turístico (o número de alojamentos locais quadruplicou nos últimos 4 anos) ou o desenvolvimento e vulgarização das plataformas de comércio electrónico que constituem novos desafios.
Inexplicavelmente, a ASAE não tem acompanhado esta realidade. E ninguém pode dar como eficaz, na defesa dos direitos do consumidor, uma polícia que possui um quadro de pessoal reduzido, com pouco mais de 200 inspetores para controlar todas as actividades económicas, em todo o território nacional e no espaço digital. Os nossos 10 milhões de concidadãos são, todos eles, consumidores. Porque apenas 200 estão focados na defesa dos seus direitos, a balança continuará desequilibrada e as reclamações continuarão a aumentar…

Bruno Figueiredo

A opinião do Presidente da Direção Nacional da ASF-ASAE na edição do CM de 18/03/2019

https://www.cmjornal.pt/opiniao/colunistas/bruno-figueiredo/detalhe/relacao-inversa?ref=bruno-figueiredo_destaque&fbclid=IwAR0tAJD8F42MNtwB8go9adNU-LtSEzNBz_-V2l3tm6DS_rcmi6sI66q7fFE