05 Mai 2018
Maio 5, 2018

Saber ler não basta

0 Comment

“Citando o Inspetor-Geral da ASAE a propósito dos incêndios de 2017, “é necessário saber ler certos fenómenos e orientar a organização para eles”. Em causa estava a escassez dos meios de produção nas regiões afetadas, o que poderia pôr em causa a autenticidade dos produtos.
Outros fenómenos carecem de leitura idêntica. Até ao dia 5 de maio, veterinários e auxiliares de inspeção da DGAV estarão em greve e muitos matadouros poderão ficar paralisados. A inspeção sanitária é condição “sine qua non” para que se possa proceder ao abate de animais destinados a consumo humano. A greve dos veterinários da DGAV, primeiro garante da segurança dos produtos cárneos, provocará constrangimentos no abastecimento dos mercados e abrirá uma janela de oportunidade para os abates clandestinos. É a saúde pública que poderá estar em causa, já que ela costuma ceder perante os interesses económicos!
Não basta saber ler os fenómenos. É necessário ter meios para intervir. Enquanto OPC caberá à ASAE prevenir e reprimir esse ilícito. É para estes desafios que a ASAE tem que estar preparada, mas os seus constrangimentos operacionais também são públicos. Só a região norte do país tem mais matadouros que inspetores…

 

A Opinião do Presidente da Direção Nacional da ASF-ASAE, , publicada no Correio da Manhã.

https://www.cmjornal.pt/opiniao/colunistas/bruno-figueiredo/detalhe/saber-ler-nao-basta?utm_medium=Social